quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro


Estive no Rio no fim-de-semana passado, com os filhos, correndo (apenas eu, claro) a meia maratona internacional, prova organizada pela Yescom com apoio da toda poderosa Rede Globo.

Como todas as provas que aparecem na tevê, muita gente se inscreve, é um tumulto por conta disso, e outros tantos não comparecem. Não me perguntem exatamente porque, pois realmente não entendo tantos não aparecerem para correr, apenas pegar o kit e não participar. Talvez ("talvez") se exibir com a camiseta na rua outros dias. Realmente não sei. Assunto para sociólogos, antropólogos e psicólogos.

Sobre a retirada do kit, não tenho nada a comentar, já que o Daniel fez isso para mim. O kit continha a camiseta (que é ótima), aqueles dilatadores nasais, amostras de café 3 Corações e mais algumas instruções, se não esqueci de nada. Nenhum boné, isotônico ou carboidrato em gel (tô ficando exigente).

Ainda não sabia como seria meu desempenho, já que ando com as dores nas panturrilhas oriundas na prova da Mizuno (em 27/6). Desde lá, já consultei nutricionista, cardiologista, ortopedista, angiologista e está só faltando a casa espírita. O cardiologista mandou consultar o ortopedista. O ortopedista disse que não era muscular, sugeriu ver a circulação. O angiologista disse para não ir nesses "ortopedistas comuns" e sim em alguém de medicina do esporte... Disse que está tudo bem, faremos um exame dia 30, mas só para ter 100% de certeza, pois pelo exame clínico já descartou que as dores sejam algo de circulação.

No sábado à noite, coloquei bastante gelo no local e, domingo pela manhã, antes da prova, passei o óleo de arnica da Weleda que costumo usar em algumas ocasiões. E, embora o ortopedista tenha dito que não é muscular, parece que ajudou, pois consegui correr relativamente bem, para quem andava correndo a 6:30/km.

Larguei junto com o Duda e a Danuse, mas logo, acho que ainda era o km 1, não consegui acompanhar o primeiro, nem ela, que me passou pelo 3, se não estou enganado. Meu Garmim deu uma pane (sinal de que está para estragar a qualquer momento) e não funcionou. Apareceu como bateria fraca, embora tenha carregado-o na quinta à noite depois que voltei do treino. Sem relógio é meio esquisito para quem está acostumado, mas fui indo. A grande vantagem em relação ao ano passado, foi que saímos bem mais na frente. Ano passado, levamos 17 minutos para cruzar a largada. Nesse ano, apenas 4:30. Isso ajudou bastante, pois era preciso ultrapassar bem menos pessoas. Até pareceu que a prova estava mais "vazia".

Senti um pouco de cansaço lá pelo 8 ou 9, mas foi passageiro, provavelmente logo após deve ter surtido efeito o gel e os isotônicos que tomei, e recuperei as forças, indo num ritmo relativamente bom, dentro do contexto, lógico, de quem já estava acostumado a correr a 6:30/km. Senti a falta de treino naquele ritmo e o peso que peguei (e que pode ser percebido pela foto) com certeza atrapalhou um pouco. Não é fácil carregar 89kg e fazê-los movimentar a engrenagem.

Acho que lá pelo 15, avistei a Danuse e perto do km devo tê-la ultrapassado. Pouco antes desse ponto, o Daniel, meus filhos e outros acompanhantes estavam colocados, vendo-nos passar e gritando palavras de apoio. O km 17 foi um ponto à parte, que quase todo mundo reclamou, pois havia numa passarela um indicativo de um dos patrocinadores (um curso de inglês) com o aviso de km 17, só que era alarme falso e a plaquinha do 17 apareceu meio km depois. Do ponto de vista psicológico, a essa altura do campeonato, e levando-se em consideração que o percurso já não ajuda nessa parte, uma vez que vemos o povo chegando do outro lado da via, foi uma cacetada na cabeça. Dá uma desanimada momentânea, já que estamos em contagem regressiva, implorando que os quilômetros passem mais rapidamente e eles sempre parecem que tem mais de 1.000 metros.

Procurei o Duda no retorno, imaginando que talvez ele estivesse não muito à minha frente, mas a falta de relógio me tirou a noção de tempo. Ele estava bem mais adiantado. Terminou em 1:42:02, enquanto acabei cruzando a linha de chegada em 1:49:14. A Danuse chegou em 1:51:29, acompanhada do "negrinho" dela, e mais 10 da equipe também chegaram depois.

Missão cumprida - melhor do que eu imaginava, já que nos meus melhores sonhos, estava me arrastando para chegar em 2h, a surpresa boa foi na segunda. Eu e os filhos tínhamos entrevista para o visto americano. Fazia um dia maravilhoso, e após o compromisso consular, pudemos desfrutar, com o resto do pessoal que ficou por lá, de um ótima tarde de praia, com temperatura boa e muito calor.

Como tudo que é bom não dura para sempre, retornamos no início da noite para Porto Alegre. Mas ano que vem tem mais com toda a certeza.

5 Comentários:

Stéphanie Perrone disse...

bah, fostes tri bem na prova. a meia do Rio está nos meus planos futuros, ano que vem quem sabe. este ano optei pela meia maratona de Punta del Leste, no dia 5 de setembro.

e adorei a camiseta que estás na foto, timão esse, hehe

abraço
Stéphanie

elis disse...

oi!

parabéns pela meia maratona!!!
pelo que li de outros blogueiros que partciparam, foi uma grande festa!
você se saiu muito bem mesmo!
realmente não é fácil encarar 21km (nem 10km rsrsrsrsrs) quando a gente ainda está em fase de retomada de treinos!
e ficar acima do peso é um tormento!
se eu ficar um mês parada, é o fim, engordo tudo o que perdi nos meses de corrida rsrsrsrsrs
ah, também costumo usar a arnica - mal não faz;)
bom retorno aos treinos!

http://elismc.blogspot.com

JC Baldi disse...

Stéphanie,
Também achei muita boa minha performance, dentro das minhas condições atuais. Inclua o Rio, sim, pois vale muito a pena. Uma prova que precisa estar no currículo.
Punta tbém é muito legal de correr. Corri a maratona lá em 2008. Povo muito hospitaleiro e preocupado em realizar uma prova que agrade. Vais gostar, com certeza.
Bem, a camiseta está bonita, mas o nosso time tá decepcionando... vamos ver se melhora, senão...

Elis,
Obrigado pelo comentário. Foi uma grande festa mesmo.
Acima do peso qqer esforço é demais. É sofrimento puro, mas dias melhores virão...hehe

Jorge disse...

O Baldi náo sabia que vc tinha retornado ao Rio, pois esta prova e espetacular foi nela que eu estreei em corridas em 2001 e logo de cara foi a minha primeira e mole...rssss..Espero que melhore logo desta dor...Tambem quando eu passei pela porra do Km 17 no meu cronometro deu 2min 20seg e achei que tambem estava errado e mole...rss...Quanto ao Kit da MEIA eu digo que ele ja foi muito bom, hj em dia está caindo...
Nesses tipos de corridas assim eu sempre chego cedo para ser uns dos primeiros a largar, pois eu larguei na frente e terminei em 1h32min.
Parabéns amigo pela superacao, volte sempre.

Um abraco,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

JC Baldi disse...

Pois é, Jorge, retornei. O Rio é daqueles lugares que nunca faz mal ir mais uma vez.
Para nós foi bem tranquilo: chegamos antes das 8h e pudemos pegar um local bom. Isso facilita muito para aqueles que estão a fim de correr mesmo.

Bem, agora é só aguardar ano que vem e esperar que eu chegue bem melhor preparado.

Abç e boas corridas.

Postar um comentário

Não perca tempo. Corra para comentar, antes que outro chegue antes!

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO